Páginas

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A Maior Farsa da Humanidade

Venho estudando religiões pagãs antigas que vieram antes dessa obsessão recente com um único criador divino. Eles parecem ter focado mais em forças fundamentais que agem no mundo ao nosso redor e menos em regras morais arbitrárias...

O Sol se levanta pela manhã e se põe à noite. As marés sobem e abaixam. A grama cresce, murcha, morre, e no momento certo, emerge do solo novamente. O ar fica quente e depois frio. Algumas energias escondidas nos mantém presos ao chão e nos trazem de volta quando tentamos sair dele.
Cada um desses movimentos foram representados antes por um deus ou deusa. Cada força tem uma característica própria, mas são reconhecidas como algo diferente e poderoso. E isso não significa que havia conexões entre essas forças, um templo de espíritos individuais, mãos invisíveis guiando o progresso do mundo ao nosso redor.

Átis. Dionísio. Horus. Krishna. Mithra. Jesus. A história de vida deles foi parecida. Parecida até demais, eu acho. Nascimento divino. Perseguição. Discípulos. Atos miraculosos. Ressureição...

Como isso é possível?

Talvez não seja... Quem sabe não seja apenas uma mesma história contada ao longo dos anos? Modificada para que possa ser adaptada aos tempos em que eram contadas? Evoluindo tal como nossas ferramentas e linguagem? Essas histórias seriam só ficção ou seriam reais? Um pouco dos dois? Essas figuras poderiam ser a mesma pessoa, e suas vidas foram estendidas e transformadas em deuses.

Dai então, houve uma tentativa de categorizar, estudar, explicar e entender a forma como as coisas funcionam, mesmo que com falhas. Mas não mais. Agora estão nos pedindo para aceitar uma explicação mais simples. Quão ingênuos somos em acreditar que haja uma única resposta para cada pergunta, para cada mistério, que existe uma luz divina e solitária que comanda tudo. Eles dizem que é a luz que traz a verdade e o amor. Eu digo que é a luz que nos cega, e nos força a tropeçar na ignorância.

Percebi que os lideres religiosos, tentam desde sempre moldar a realidade conforme seus desejos. Eles perceberam que não há uma “verdade absoluta”, ou se há, felizmente não estamos preparados para reconhece-la. Assim, eles procuram criar suas próprias explicações. Isso está na crença principal do que eles chamam de “A VONTADE DE DEUS”; refazem toda a existência a sua própria imagem. Não se trata de artefatos, não se trata de homens, estes são meramente brinquedos. Trata-se de conceitos. Como se pode fazer uma guerra contra um conceito?

A religião é uma arma perfeita. Não tem forma física, e mesmo assim pode alterar o mundo ao nosso redor de maneiras incontestáveis, às vezes até violentas. Você não pode matar uma crença. Mesmo que se mate todos os seguidores, que se destrua todos os seus documentos, estes atos são momentâneos. Alguém, em algum dia, vai redescobri-las, reinventa-la. Acredito que mesmo nós, Ateus, tenhamos simplesmente redescoberto uma filosofia que é mais antiga que o próprio criador dela...

Enfim. Espero pelo dia em que os homens vão se livrar dos monstros invisíveis e mais uma vez vão abraçar uma visão mais racional do mundo. Mas essas novas religiões são muito convenientes, e prometem tantas punições terríveis para aqueles que a rejeitarem, que acho que o medo nos manterá presos no que certamente é a MAIOR MENTIRA JÁ CONTADA!


Filme: Zeitgeist
(Legendado, completo)
Duração: 2 horas

Filme: Zeitgeist - 1° Parte
(Dublado em Português)
Duração: 26 min
OBS: Esse segundo vídeo, é a 1° parte do vídeo acima, dublado, e foca exatamente no assunto do blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário