Páginas

sábado, 17 de março de 2012

Ateu e suas descrenças...

Seu ímpio! - É o que eu já ouvi, porque será? Será que a pessoa que disse, tinha conhecimento do significado de tal palavra, ou apenas leu na bíblia?

Perguntaram-me porque eu não acredito em deus ou na bíblia.
Isso é simples, eu não acredito em deus, cristão ou hinduísta, japonês ou grego. Não acredito por motivos óbvios... Não preciso de nenhum deles.

Tomarei como base o deus dos cristãos, cujo nome é Deus. Vou colocar alguns argumentos e dúvidas em que mostra o que eu não entendo aqui, e se por acaso alguém souber explicar com argumentos concretos e coerentes, fique a vontade.

Vamos lá então:
Sendo Deus onisciente, fazendo milagres, não estaria suspendendo a ordenação necessária do mundo que Ele próprio estabeleceu?
Mais do que isso. Sendo Deus um espírito perfeito e infinito, que necessidade teria de criar um mundo material, finito e imperfeito?
Mais ainda. Deus é eterno, portanto alheio ao tempo; mas o mundo não é eterno, pois foi criado por deus e, nesse caso, como um ser eterno realiza uma ação temporária? Como falar em Deus antes do mundo e depois do mundo, se "Antes" e "Depois" são qualidades do tempo e não da eternidade?

Agora, passemos a alguns trechos retirados da bíblia:

Tomemos um exemplo do "Antigo Testamento":

Ali é narrado que, durante uma batalha, Josué fez o Sol parar, a fim de que, com o prolongamento do dia, pudesse vencer a guerra. Essa história sagrada pressupõe que o Sol se movimenta em torno da Terra e que esta se permanece imóvel.
Estando narrado no texto revelado pelo próprio Deus, a história de Josué não pode ser contestada.

O que me faz pensar: "Ou a Terra começou a se mover depois que surgiu os cientistas, ou Deus não conhece o que ele próprio criou."

Agora, um exemplo vindo do "Novo Testamento".

Historiadores, Linguistas e Antropólogos fizeram estudos sobre as culturas de toda a religião do Oriente Médio e do Norte da África, nelas encontrando uma referência constante ao pão, ao vinho e ao deus morto e ressuscitado. Eram culturas de uma sociedade agrária, com ritos de fertilidade da terra e dos animais, realizando cerimonias muito semelhantes às que seriam realizadas, depois, pela missa cristã. Desse ponto de vista, o ritual da missa pertence a uma tradição religiosa agrária, oriental e africana, muito anterior ao cristianismo. Isso contraria as "verdades cristãs", onde diz que a missa é considerada uma liturgia que repete e rememora um conjunto único e novo de eventos relativos a vida, paixão e morte de Jesus.

Para finalizar, vou basear em um pensamento do Filósofo Espinosa (Século XVIII) Onde ele dizia que:
"As pessoas são movidas por duas paixões (Medo e Esperança), não confiam em si mesmos nem nos conhecimentos racionais para evitar males e atrair bens. Passional ou irracionalmente, julgam que a origem dos males e bens encontra-se em forças caprichosas, como a "Sorte" e a "Fortuna", e passam a acreditar nelas como poderes que os governam arbitrariamente. Essa crença é a Superstição.
Para alimentá-la criam a religião e essa, para conservar seu domínio sobre os homens, institui o poder teológico-politico, isto é, uma política dirigida e comandada pela religião, ou melhor, pelos detentores do poderio religioso..."

Acho que isso mostra bem, alguns dos motivos básicos para eu, e com certeza mais ateus, não acreditam em dogmas ou divindades.

Pensamento do autor: "Não acredito na bíblia porque, nenhum livro que contenha explicita ou implicitamente argumentos que influenciam ao preconceito contra homossexuais, mulheres ou qualquer preconceito do tipo... Não merece meu respeito!" - LemãO Shady

Nenhum comentário:

Postar um comentário